terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Boas Festas!

Foi a Titia que me enviou... Achei um mimo...

Tudo de Bom...

Beijo especial à Vó e à Mãe...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Brainstorm...

emoções... ideais... amor... café... saudade... calor... vida... dor... mudança...dois... ideias... valores... educação... fogo... sensualidade... surpresa... ânimo... força... esperança... perda... amizade... vazio... flores... cumplicidade... música... silêncio... frio... paz... praia... lealdade... segurança... doce... mensagem...

'A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio'
Martin Luther King


(Ouvidos e Sentidos - "The meandow", Alexandre Desplat, New Moon Soundtrack)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

... à porta!


'Esperar uma alegria também é uma alegria'
Gotthold Lessing

(Ouvidos e Sentidos - "The weekend", Michael Gray)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Em ti...

'Amo como ama o amor.
Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar.
Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?'
Fernando Pessoa

(Ouvidos e Sentidos - "Qualquer coisa que me anima", Oquestrada)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Vida

"Viver não é esperar a tempestade passar... é aprender como dançar na chuva..."

(Ouvidos e Sentidos - 'November Rain', Guns n' Roses)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Quando uma porta se fecha....


Diz o ditado que quando uma janela se fecha, abre-se uma porta, mas...
quando, na vida, uma porta se fecha para nós, há sempre outra que se abre.
Em geral, porém, olhamos com tanto pesar e ressentimento para a porta fechada,
que não nos apercebemos da outra que se abriu...

Mensagem de esperança para nós...

(Ouvidos e Sentidos - "Feeling good", Pussycat Dolls)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O amor...


Um grupo de profissionais colocou esta questão a um conjunto de crianças entre os 4 e os 8 anos: «Qual é o significado do amor? As respostas que obtiveram foram muito mais amplas e profundas do que alguém possa imaginar. Vejam por vocês mesmos:

«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor.»
Rebeca, 8 anos

«Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa.»
Billy, 4 anos

«O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro.»
Karl, 5 anos

«O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.»
Chrissy, 6 anos

«O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»
Terri, 4 anos

«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»
Danny, 7 anos

«O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. Eles são um bocado nojentos quando se beijam.»
Emily, 8 anos

«O amor é aquilo que está contigo na sala, no Natal, se parares de abrir os presentes e escutares com atenção.»
Bobby, 7 anos

«Se queres aprender mais sobre o amor, deves começar por um amigo que odeies.»
Nikka, 6 anos

«O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.»
Noelle, 7 anos

«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.» (nem Sócrates, Descartes ou Freud diriam algo mais certo...)
Tommy, 6 anos

«Durante o meu recital de piano, eu estava no palco e sentia-me apavorada. Olhei para todas as pessoas que estavam a olhar para mim, e reparei no meu pai que estava a acenar-me e a sorrir. Era a única pessoa a fazer aquilo. O medo desapareceu»
Cindy, 8 anos

«A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.»
Clare, 6 anos

«Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.»
Elaine, 5 anos

«Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.»
Chris, 7 anos

«Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia.»
Mary Ann, 4 anos

«Eu sei que a minha irmã mais velha me ama, porque me dá todas as roupas usadas e tem de ir comprar outras.»
Lauren, 4 anos

«Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.» (quanta arte!)
Karen, 7 anos

«Amor é quando a mamã vê o papá na casa de banho e não acha isso indecente.»
Mark, 6 anos

«Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se.»
Jessica, 8 anos

E a última? O autor e conferencista Leo Buscaglia falou de um concurso em que ele teve de ser júri. O objectivo era encontrar a criança mais cuidadosa.

A vencedora foi um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um velhote que perdera recentemente a sua esposa. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe he perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse: Nada, só o ajudei a chorar


(Ouvidos e Sentidos - "Only you", Aio)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Hapiness...

"Felicidade é ter o que fazer, ter algo que amar e algo que esperar"...
Aristóteles

Hoje... estou de bem com a vida! :)

(Ouvidos e Sentidos - "Hapiness", The Fray)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O sapato do coraçao...


Há sempre dois sapatos: o sapato esquerdo e o sapato direito...
O sapato esquerdo calça o coração. O sapato direito joga futebol.
Quando chove, os sapatos dão pontapés na chuva. Quando faz sol, os sapatos dão passeios aos domingos.
À noite, quando tu dormes, os sapatos dão passos pela casa do teu sonho.
Os sapatos, patos, patos, sapa, sapa, sapateiam.
Com saúde, vão até ao fim do mundo. Doentes, vão até ao sapateiro.
Três sílabas apenas: sa-pa-tos.
Mas podem ter quatro sílabas se forem muito pequeninos: sa-pa-ti-nhos. E novamente três se forem muito grandes: sa-pa-tões.
Os sapatos, na gramática, são uns brincalhões.
Brincalhões, merecem brincar. Menino que não meteu os sapatos no frigorífico não merece sorvete no Verão.
Não é asneira, não: são os sapatos no trapézio da imaginação.
Vê lá tu: já houve um sapato com pregos que subiu ao monte Evereste.
Nunca lá estiveste?
Pena: ensina geografia aos teus sapatos até eles ficarem sem tacões.
Enfim… faz tudo com os teus sapatos, sapatinhos, sapatões.

Mas, se um dia endureceres e fores mau sem razão, tira o sapato esquerdo, põe o pé no chão…E ouve descalço o teu coração...
Pedro Alvim
O sapato do coração
Lisboa, Plátano, 1981

(Ouvidos e Sentidos - "Love, love, love" , James Blunt)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O teu dia!!!

Dizem que, ser feliz é fazer de cada minuto, um momento especial...

Por isso, estou aqui para Te agradecer todos os minutos que partilhamos... todos eles... os de choro... os de riso... os de desabafos... os de paródia... os de birra... porque todos eles são sempre especiais...

Um grande beijo de PARABÉNS neste dia que é só teu...

'Feliz daquele que encontra um amigo digno desse nome'
Menandro

(Feliz de mim, por te ter encontrado...)

(Ouvidos e Sentidos - "In the arms of the angel", Sarah Mclaughlin)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Metamorfoses...

Mudamos de corpo... mudamos de cara... mudamos de imagem... mudamos de tempo... mudamos de estilo... mudamos de gente... mudamos de feitio... mudamos de olhar...
mudamos de vida...

Aqui vou eu!...

'A coragem consiste não em arriscar sem medo, mas em estar decidido quanto a uma causa justa'.
Plutarco

(Ouvidos e Sentidos - "Circle of life" - Lion King soundtrack)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Free

I live here on my knees
as I try to make you see that
you're everything I think
I need here on the ground.
But you're neither friend nor foe
though I can't seem to let you go.
The one thing that I still know
is that you're keeping me down.

Something always brings me back to you.
It never takes too long.

'É difícil não sermos injustos com aquilo que amamos...'
Oscar Wilde
(Ouvidos e Sentidos - "Gravity", Sara Bareilles)

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Penso em ti...

Um grande beijo de PARABÉNS...
Estejas onde estiveres... eu estou sempre ctg...

Fazes-me falta... amo-te...

(Ouvidos e Sentidos - "Clair de lune", Debussy)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Renascer

"Posso ter defeitos, viver ansioso
e ficar irritado algumas vezes mas
não esqueço de que minha vida é a
maior empresa do mundo, e posso
evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale
a pena viver apesar de todos os
desafios, incompreensões e períodos
de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos
problemas e se tornar um autor
da própria história. É atravessar
desertos fora de si, mas ser capaz de
encontrar um oásis no recôndito da
sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã
pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios
sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma
crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…”

(Ouvidos e Sentidos - "Bom feeling", Sara Tavares)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Just me

Quando um coração se fecha, faz muito mais barulho do que uma porta... (frase roubada a Margarida Rebelo Pinto, que por sua vez a roubou a António Lobo Antunes... mas como diz a sabedoria popular 'Ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão').
Levar com a porta na cara dói muito. Dói sempre, o dia inteiro, a todas as horas e a todos os minutos. Dói tanto que os segundo se podem tornar insuportáveis e os dias facilmente se transformam em epopeias...
Dói de manhã, assim que regressamos do abençoado estado de inconsciência em que o sono nos guarda, quando olhamos para o lado e perguntamos: e agora? Dói quando olhamos para o espelho embaciado onde existem os fantasmas de frases de amor escritas com a ponta dos dedos. Dói quando nos lavamos, quando comemos, quando engolimos, quando respiramos, quando falamos, quando ouvimos, quando pensamos... Dói um bocadinho menos quando nos rimos, quando os amigos nos abraçam (mesmo os que estão longe), quando a noite cai...
Mas o que mais dói é saber que alguém que ainda amamos, por medo e por sofrimento, nos fechou o coração... O som é igual ao de mil tambores em fúria: não vale a pena falar, não vale a pena escrever, não vale a pena tentar chegar ao outro lado, saltar o muro, enviar emissários, içar bandeiras, fazer cimeiras, apanhar aviões e levar na mão o nosso coração como presente porque esse alguém já não o quer.
Quando o outro coração se fecha, deixa de ser nosso...

Hoje foi o fecho (in)conformado de uma etapa...
Obrigada por tudo o que representas para mim... e por toda a aprendizagem...

(Ouvidos e Sentidos - "Cada lugar teu", Mafalda Veiga)

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Tesouro meu...

Quando estou contigo, nem me sinto só nem nos sinto duas...

(Ouvidos e Sentidos - "What's love", Ayo)

À parte...


'A esperança que o homem tem na eternidade em outro mundo, resulta-lhe do desespero que sente por não ser eterno naquele onde está'...
Alexandre Dumas

E para bom entendedor...


(Ouvidos e Sentidos - 'Por uma noite', Klepht)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Mimos de Verão!


Cheiros... Calor... Noites... Bikini... Paz... Dançar... Pele... Jantares... Areia... Bronze... Mala... Rir... Fotografias... RESPIRAR... Amigos... Pés... Dias... Fruta... Partilhas... Saudades... Viajar... LIBERDADE... Cremes... Chinelos... Corpo... Família... Velas... Livros... Puffs... Sangria... Varanda... Cabelos... Vestidos... Saladas... INTENSIDADE... Mar... Gelados... Mãos... Prendas...

Férias... VIDA...

'Estar cheio de vida é respirar profundamente, mover-se livremente e sentir com intensidade'... (Alexander Lowen)

(Ouvidos e Sentidos - "Selfish Love", Pedro Cazanova ft. Andreia)

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

(In)Consciência...

Style of your hair...shape of your eyes and your nose... the way you stare as if you see right through to my soul... It's your left hand and the way that its not quite as big as your eyes... The way you stare in the mirror before we go out at night...
Our quiet time... your beautiful mind... Their all part of the list... things that I miss... Things like a funny little laugh or the way you smile or the way we kiss... What I notice is this... I come up with... something new every single time that I sit and reminisce... The way your sweet smell lingers when you leave a room... Stories you tell as we lay in bed all afternoon... I dreamed you now every night in my mind is where we meet... and when I'm awake staring at pictures of you asleep... touching your face... invading your space.
Their all part of the list... things that I miss... Things like your funny little laugh or the way you smile or the way we kiss... What I notice is this... I come up with something new every single time that I sit and reminisce...

Presa a um passado bem presente e sem futuro...

(Ouvidos e Sentidos - "Part of the list", Ne-Yo)

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Confia...

"Escava dentro de ti... É lá que está a fonte do bem, e esta pode jorrar continuamente, se a escavares sempre"

Marco Aurélio

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Certeza do (in)certo...

Luta... Sorri... Ama... Vive... Sonha... Sente... Acredita... Respira... Constroi... Olha... Experimenta... Tenta... Aprende...

Porque poderia encher a página de letras... de sentimentos... e nunca parar de escrever...
Dou apenas um cartão vermelho ao medo... um aplauso ao sonho... e uma festa à vida... à que nos permite ter a certeza de um futuro (in)certo, mas repleto de magia...

Havemos de cá estar para continuar a contar a história...

A ti... a Nós...a Eles (que tanta falta me fazem)...


(Ouvidos e Sentidos - "A Wish (keep fighting)", Dr1ve ft. Lúcia Moniz)

sábado, 9 de maio de 2009

A vida do meu Eu...


Nao consigo dominar... Este estado de ansiedade... A pressa de chegar... P’ra nao chegar tarde...
Nao sei de que é que eu fujo... Será desta solidão... Mas porque é que eu recuso... Quem quer dar-me a mão...
Vou continuar a procurar... a quem eu me quero dar...
Porque até aqui eu só:
Quero quem... quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem... Quem nao conheci...
Porque eu só quero quem... Quem eu nunca vi...
Esta insatisfação... Nao consigo compreender... Sempre esta sensação... Que estou a perder...
Tenho pressa de sair...
Quero sentir ao chegar... Vontade de partir...
P’ra outro lugar...
Vou continuar a procurar... o
meu mundo, o meu lugar...
Porque até aqui eu só:
Estou bem, aonde eu não estou...
Porque eu só quero ir... Aonde eu não vou...

Espelho meu, haverá canção que defina melhor este meu Eu...?!?!?

(Ouvidos e Sentidos - "Estou além", Donna Maria, homenagem a António Variações)

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Transparência e simplicidade...


Os muitos membros do corpo formam um só corpo, e mutuamente se amparam, cumprindo cada um a sua tarefa...
O olho vê por todo o corpo;
A mão trabalha pelos outros membros;
O pé, ao caminhar, a todos leva;
E cada membro sofrerá desde que um outro esteja a sofrer...

(Ouvidos e Sentidos - "Breathe, Anna Nalick)

sábado, 18 de abril de 2009

Já pensaste que…


Já alguma vez pensaste que é bom ter olhos para ver o mundo...
e ouvidos para ouvir os outros...
e boca para dizer tudo aquilo que dizemos...
e pernas para nos levar onde somos precisos...

e mãos para ajudar os que delas precisam...
e braços para estreitar os outros num abraço...
e ombros para que alguém neles recline a cabeça fatigada...
e cérebro para pensar em ajudar os outros...

e coração para sentir as coisas que nem sempre compreendemos imediatamente...

Já alguma vez pensaste como tudo isto é maravilhoso?

(Ouvidos e Sentidos - "Heartbeat", Martine Bond)

sábado, 11 de abril de 2009

Ssshhhhhh....


Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta aos seus discípulos:
'Porque é que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?'
'Gritamos porque perdemos a calma', disse um deles.
'Mas, porquê gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?' Questionou novamente o pensador.
'Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça', retrucou outro discípulo.
E o mestre volta a perguntar:
'Então não é possível falar-lhe em voz baixa?' Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu:
'Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?'
O facto é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, os seus corações afastam-se muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para se ouvirem um ao outro, através da grande distância.

Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elas não gritam... Falam suavemente... E porquê? Porque os seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes os seus corações estão tão próximos, que nem falam, somente sussurram... E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer de sussurrar, apenas se olham, e basta... Os seus corações entendem-se... É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.'

Por fim, o pensador conclui, dizendo:
'Quando vocês discutirem, não deixem que os vossos corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta'...

Mahatma Gandhi

(Ouvidos e Sentidos - "Gravity", John Mayer)

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Partilhas...

Não se deve ter medo de dar um grande passo quando for altura disso... Afinal de contas não se pode atravessar um abismo aos saltinhos...

"Razões fortes originam acções fortes"
William Shakespeare

Estamos nisto juntas...

(Ouvidos e Sentidos - "After tonight", Justin Nozuka)

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Saudade minha...

(Em botânica, "saudade" é o nome vulgar de várias plantas da família das Dipsacáceas e das Compostas)
Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular, "saudade", só conhecida em galego-português, descreve a mistura dos sentimentos de perda, distância e amor...
A palavra vem do latim "solitas, solitatis" (solidão), na forma arcaica de "soedade, soidade e suidade" e sob influência de "saúde" e "saudar"...
Diz a lenda que foi cunhada na época dos Descobrimentos
e nas colónias do Brasil
esteve muito presente para definir a solidão dos portugueses numa terra estranha, longe de entes queridos...
Define, pois, a melancolia causada pela lembrança; a mágoa que se sente pela ausência ou desaparecimento de pessoas, coisas, estados ou ações. Provém do latim "solitáte", solidão...
As saudades fazem parte... são elas que nos mostram que estamos aqui... vivos... para continuar cada dia que passa... para lembrar cada história vivida... cada lugar marcado... cada música... cada pedacinho de nós que sentiu na pele tudo aquilo que de bom se fez...
Como "alguem" diz... a história continuará... e nós (mesmo que no meio de algo confuso) estaremos cá para aplaudir...
Espero por ti...

(Ouvidos e Sentidos - "Flightless bird", Iron & Wine)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Aplausos e RIsos!

Imagino que chego ao trabalho com a minha comitiva de pastas, dossiers, malas, computador e estojos com tudo o que lá couber e tenho uma multidão a aplaudir-me... A aplaudir o meu trabalho, o profissionalismo e tudo o que de bom fiz para merecer tamanha homenagem!!
Como me sentiria?? E tu, como te sentirias??

(Textinho saído após ter visto a comitiva do f.c.p. à chegada a Portugal,
na madrigada de hoje)

(Ouvidos e Sentidos - "Good life", Kanye West)

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Sentir do coração...


"Assentei o amor pelos meus nessa dádiva de sangue, assim como a mãe assenta o seu amor no leite que dá.
É aí que reside o mistério. É preciso começar pelo sacrifício para alicerçar o amor."
(Saint-Exupéry)

I Choose Love...

(Ouvidos e Sentidos - "Choose love", Rita Redshoes)

domingo, 22 de março de 2009

Lembras-te?...


Deliciem-se...
De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos...

Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas 'à prova de crianças', ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas...

Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes...

Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus...

Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem...

Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora...

Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso...

Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões... Depois de acabarmos num silvado aprendíamos...

Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer...

Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso...

Não tínhamos Play Station, XBox. Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet...

Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua...

Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía!..

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal...

Havia lutas com punhos mas sem sermos processados...

Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados...

Íamos a pé para casa dos amigos...

Acreditem ou não íamos a pé para a escola...

Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem...

Criávamos jogos com paus e bolas...

Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem... Eles estavam do lado da lei...

Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre...

Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo...
(Ouvidos e Sentidos - "D'artacão e os 3 Moscaoteiros", as melhores canções infantis)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Beijos sentidos...

Calor... Rir... Amigos... Praia... Saudades... Sol... Amor... Beijos...

Hoje estou assim... completamente fresca, cheia de vida, alegria e beijos para dar...

Beijo à Avó que sei que está comigo todos os dias...
Beijo à outra Avó que, mesmo longe, está sempre presente no meu coração...
Beijo ao Papi que desde pequena é o meu herói...
Beijo à Mana que, apesar dos nosso feitios desnaturados, estamos sempre em sintonia...
Beijo à Tia, madrinha, amiga, cumplice, clone por ser quem é para mim... és um exemplo a seguir...
Beijo à Gata que atura todos os dias o que ela própria define como "feitio de carneiro da princesa das trevas" e mas que torna os meus dias sempre especiais...
Beijo ao Tesourinho que desde que apareceu marcou a minha vida e desde que partiu deixou saudade...
Beijo à Bomboca que mal podia ver à frente e que rapidamente se tornou numa peça fundamental...
Beijo à Mimi pelas aventuras e partilhas de todos estes anos... há coisas que nuncam mudam...
Beijo à Mordalisca que tem puxado por mim e tem exigido que a célebre "menina cresca" faça bem o que lhe compete, ouvindo muito e falando pouco (confesso que por vezes é difícil...)
Beijo às Companhias do dia, às da noite e um obrigado pelas conversas, sentires, desabafos, cusquices (admito!) e risos (e que muitos) partilhados...
Beijos aos Piolhinhos que todos os dias me fazem sentir realizada e que, acabo por contribuir com algo na sua formação (pelo menos, quero acreditar que sim!...)...

Beijo a todos... hoje estou assim...

(Ouvidos e Sentidos - "Infinity", Inara George and Bryony Atkins)